terça-feira, 10 de agosto de 2010

Tudo se renova

Amanhã fará 2 meses que minha avó morreu.Desde então nunca mais ninguém foi a casa onde ela morava.Faltou ânimo, coragem.Minha tia, filha dela, reside na mesma rua, mas não teve ânimo de ir até lá desfazer das coisas.Desmontar a casa, distribuir as coisinhas dela,limpar tudo, doar o que ninguém precisar.Meu pai também não teve coragem.Mas ontem os dois resolveram que nesta semana irão lá   resolver isso,pôr fim a um ciclo que encerrou-se, dar um novo destino as coisas que ficaram. A casa só foi aberta uma vez após a morte da vovó paratirar alimentos e coisas perecíveis.Mas chegou o momento, é preciso dar vida nova a casa.























 Barzinho dos anos 50, na sala da minha avó.

Deve ser uma sensação muito estranha desfazer das coisas que fizeram parte de uma longa vida de 90 anos.
Muitas coisas ficarão para meu pai e minha tia, mas  outras serão doadas, como eletrodomésticos, roupas, sapatos,roupas de cama, etc.
Os móveis de minha avó eram coisas que muito colecionador ou antiquários, dariam fortunas para ter.Tudo, ou quase tudo, dos anos 50/60, e uma chapeleira de quase 100 anos trazida da Europa, além da máquina de costura alemã que foi de minha bisavó.Estas reliquias ficarão para a família. Assim como fotos, entre outros bens.























Chapeleira muito antiga, trazida da Europa

Ela havia trocado todos eletrodomésticos recentemente.Então será uma bela doação para algum asilo ou orfanato, eles poderão fazer bom proveito das coisas semi novas.Mesas e cadeiras da cozinha também eram novos, outra coisa que servirá para outras pessoas.Outras senhoras irão usar seus vestidos, blusas, sapatos ,enfim, a vida continua para os bens que ficaram.Vão-se os dedos, mas os anéis ficam.Por isso penso, como é besteira acumular muitas coisas! Ninguém levará nada quando morrer!rsss


















Os tapetes húngaros de parede, estes ficarão com a família.Suas velhas formas de bolo, estas ficarão comigo. Guardarei de lembrança, das coisas deliciosas que ela fazia pra gente, os doces húngaros, as tortas, os frangos acebolados...E a batedeira de 1966, esta também, ainda funcionando, será uma doce recordação.
A casa ficará vazia.Restarão apenas as lembranças.

Estranho, no mesmo dia que sonhei com vovó, minha prima também sonhou.Ela vinha a minha casa, acompanhada do pai dela,meu bisavô, dizer que estava bem, já não tinha dores, e enxergava normalmente.Para minha prima ela disse a mesma coisa.
Vovó está em outra fase, a vida é assim cheia de fases, ciclos que começam e terminam.O dela, neste mundo,terminou.Chegou o momento  de começar uma nova fase.A casa será esvaziada,as coisas distribuídas, guardadas ou doadas.
Novas pessoas morarão lá, mas as lembranças, estas ficarão pra sempre.


Ps: as fotos estão ruins, porque foram tiradas em 2006, com câmera de celular péssima.

3 comentários:

Mára disse...

Sei como é este processo Leslie.
São as coisas que ficaram ainda impregnadas dela,mas não são ela.Doloroso este segundo processo do desfazer-se e renovar.
Fica a saudade.Sempre.


"Do lado esquerdo do peito carrego meus mortos.
Por isso caminho um pouco de banda".
Carlos Drummond de Andrade

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Poxa...não é um momento fácil. Mas precisamos fazer isto, colocar as coisas pra frente e guardar o que tem valor sentimental.

achei lindos os móveis. Esse barzinho e a chapeleira.

No sonho ela veio avisar que está bem. Por isso vc e sua prima sonharam a mesma coisa. é aviso dela, para não se preocuparem.

Ela está em paz, curada, livre... que bom...

Emocionante post.

Milton T disse...

Melhor doar tudo, mas a sensação de vazio fica muito tempo